Páginas

26 de abr de 2013

Pai !


Agora percebemos que já estás longe
Não podemos mais beijá-lo,
Nem ouvi-lo, nem tocá-lo
E saber que tudo foi real!

Percebendo que você se foi
Fechamos os olhos para vê-lo
E sabendo que você já não existe
Durmamos. Pois sabemos que estas...
Estás em nossos sonhos
E que agora tudo é uma lembrança
Uma "lembrança real"

Porém sabemos que deixa-lo ir foi necessário
E que apesar da distancia,
Existe uma realidade
Aquela que um dia nos amou
E que sempre irá estar aqui
Dentro de nós.

Então iremos gritar o seu nome
Porque sabemos que apesar da distância
O teu sorriso será sempre um oásis
Que anima os nossos dias
E conforta nossas almas

Saudade que na alma cala...
Quando a ausência de quem se ama

mais alto, dentro de nós, fala!
É sentimento doido,
pois não temos mais aquele que conosco caminhava.

Adeus Pai!

Adeus é despedida sem volta
é sentimento profundo e doído.
Uma saudade que nunca acaba
Que a gente nunca esquece...
O tempo apenas esmorece.
Mas na alma fica reservado.
No coração resguardado.
Num cantinho do ser, escondido!
A vida passa, e com ela a dor
dilacera todo o sofrimento contido...
E quem dera a vida sem ela...
Seria tão mais linda! Mais bela!
Se esta palavra fosse de nós abolida!
E com ela o sentimento tão triste,
que nestas cinco letras, se revela...

Quisera lembrar-te sem sofrer
Ver-te sem sonhar
Viver sem chorar a sua perda

Como viver se nós te esquecer-mos?
Como sorrir sem te lembrar?
Como te procurar...
Se não mais podemos te encontrar?

Jamais esquece quem se ama
Apenas o amor que um dia se clama
Converte-se em lágrimas de lembrança.


Nenhum comentário:

Postar um comentário